Nome nas Ruas (Carlos do Complexo)



Sentindo o vento no rosto
Dirigindo a nave mais louca
Do lado a mina mais louca
As luzes da cidade, a vibe é tão boa
Os menó vê e fala: voa!
Ela pergunta o que me motiva
Deve ser o ódio e o amor por esse mundo
Querer viver muito e ao mesmo tempo explodir tudo
Aproveitar e odiar cada segundo
Eu tenho cicatrizes que às vezes sangram
Crises que às vezes cantam
Eu tenho anjos e demônios
E o que faz eu ser quem sou é a forma que eu controlo isso
Ela senta no meu colo e fala: é isso
Viver pode ser bom
Os deuses prometeram
Então sem arrependimentos, decepções ou tédio
O tempo é curto
Não vou usar o meu como remédio

Eu fiz o meu nome nas ruas
Recebi amor e as lutas
E quando ela beija minha nuca
Eu esqueço que a vida é curta

Eu fiz o meu nome nas ruas
Recebi amor e as lutas
E quando ela beija minha nuca
Eu esqueço que a vida é curta

Cansado de correr risco
Então não confiei em mais ninguém que eu conheci
Depois do meu primeiro disco
Falam que eu me tornei frio
Por isso um pingente de sol no peito
Pra manter o equilíbrio
Eu prefiro seu beijo do que a guerra
Pilotar suas curvas, suas pernas
Mas quando gritam o meu nome no show
Meu verdadeiro amor
É a minha droga, nunca me separe dela
Quando não ligo pro primeiro lugar
Nem quem vem segunda intenção
Ela passa visão, tão me chupando
Porque sou o mais forte, e fala
Pra eu sempre elevar o nível ou o mundo me engole
Se minha luz se apagar e você ver fechar as cortinas
Não quer dizer que a peça acabou
Ela recomeçou, amor rebobina porque

Eu fiz o meu nome nas ruas
Recebi amor e as lutas
E quando ela beija minha nuca
Eu esqueço que a vida é curta

Eu fiz o meu nome nas ruas
Recebi amor e as lutas
E quando ela beija minha nuca
Eu esqueço que a vida é curta

Não é só ter razão, não é só ter dinheiro
Não é só ser o melhor melhor, não é só ser o primeiro
Quero o coração batendo por algo verdadeiro
Faturando as bênçãos, e zerando os medos
Não quero ser meus ídolos, não quero superá-los
Que ninguém me passe a coroa, eu quero meu próprio reinado
Sem ser um tolo, mudar tudo de um jeito
Que meus filhos não herdem guerras no colo
Nem me sentir culpado, pelo passo dado
Eu não quero seguir roteiros, escrever meu próprio
Sem correr contra os ponteiros
Sem ligar pro preço do relógio
Dar a vida por isso e continuar vivo
Normal pra quem nasceu e cresceu na trincheira
E lembre, eu até posso tá errado
Mas a determinação é verdadeira

E hoje o medo é só uma palavra
E hoje o medo é só uma palavra
E hoje o medo é só uma palavra

Comentários